Vista panorâmica da cidade de Québec

sexta-feira, 20 de março de 2015

Primeira semana - Francisação, cidade e frio

Boa noite Diário,

Ainda falando sobre a nossa primeira semana, posso dizer que foi intensa e produtiva.

Contei no post passado que já fomos ao Assurance Maladie, já estamos com o nosso número do NAS e já nos inscrevemos na biblioteca e na Francisação.

Local onde nos inscrevemos para Francisação
Sobre a Francisação tivemos uma grata surpresa.
Em menos de quatro dias, uma senhora nos ligou para agendar nossas avaliações, então deveríamos comparecer no horário marcado com antecedência. Esperávamos uma carta mas como deixamos também o nosso número de telefone, o contato foi mais eficiente e rápido.

Fomos até o local da Francisação com meia hora de antecedência e logo fomos chamados, primeiro o meu marido e, dez minutos depois, eu.

Entramos numa sala onde haviam vários guichês com entrevistadores. Fomos chamados e cada um foi direcionado para um entrevistador. No meu caso foi uma moça muito simpática, ela começou a conversar comigo em francês fazendo primeiro perguntas básicas como; o meu nome, nacionalidade, idade e depois me perguntou sobre o que eu fazia no Brasil, por que escolhi Montreal e o bairro que eu morava atualmente. Perguntou o que fizemos durante a semana e o que estamos achando da cidade, enfim, foi um bate-papo descontraído. Algumas vezes não entendia o que ela dizia, mas logo repetia e com isso me deixou muito tranquila. A entrevista durou uns dez minutinhos e depois ela me encaminhou para uma outra sala na qual eu faria uma redação.

A redação é feita em uma folha simples com quartorze linhas e com um tema. O meu tema era simples, eu precisava relatar uma situação em meu trabalho. O do meu marido também foi um tema na sua área, mas ele contou pelo menos umas vinte e cinco linhas. A redação deveria ser feita em dez minutos e foi o bastante.

Depois que terminamos voltamos para o guichê inicial com os nossos entrevistadores. Eles corrigiram o texto na nossa frente e nos explicaram em que nível ficaríamos e um provável lugar onde estudaremos, baseado na localização que moramos.

Meu marido ficou na turma avançada e eu intermediária, mas uma grande surpresa ainda estava para acontecer. Nós pedimos o curso de tempo integral, ou seja, seis horas por dia, de segunda a sexta. Para este grupo a data prevista para começar é dia 28 de abril, e por isso ficaríamos sem estudar até lá, maaaaas, fomos surpreendidos pelo entrevistador do meu marido que nos perguntou se desejávamos entrar provisoriamente na turma parcial, cujas aulas começarão dia 7 de abril, e claro, logo aceitamos.

No entanto, nós não receberemos nenhuma ajuda financeira por estarmos nesta turma, seria apenas para não ficarmos sem fazer nada até o dia 28 de abril e desenferrujar o nosso francês. Deste modo, começaremos numa turma de horário parcial e depois passaremos para a nossa turma de horário pleno e ai sim, receberemos ajuda financeira do governo. 

Aaaaaaah, mas a grande surpresa foi o entrevistador nos surpreender falando perfeitamente português, isso mesmo! Ele é um canadense que estuda português e viajou ao Brasil, e adivinhem o lugar que ele visitou? ...Recife! A minha cidade natal! Perfeito! 

Ainda sobre a Francisação de tempo pleno, receberemos uma carta que nos informará a escola e o local onde estudaremos e outros detalhes sobre o curso. Não sabemos de quanto será a ajuda do governo e nem lembrei de perguntar, mas assim que soubermos informaremos para vocês.

Com relação a cidade, o que posso dizer a princípio é que estamos bem no coração de Montreal, uma região universitária e bem movimentada. Ainda tem neve pelas ruas apesar de alguns dias com temperaturas positivas.

Antes da tempestade de neve
Depois da tempestade de neve

A minha impressão inicial talvez decepcione alguns, mas não achei a cidade tão bonita, talvez seja por morarmos bem no centro, ou porque a neve e a lama ainda cobrem a cidade, ou até mesmo por não estarmos "turistando", então andamos pelos mesmo lugares.

No entanto, vejo muito lixo pelas ruas, especialmente bituca de cigarro e copos de café, pichação em alguns prédios e metrô, além de muitos  moradores de rua.

Gente, na boa, nunca vi tantos pedintes de rua, inclusive fomos abordados por pelo menos uns quatro, e eles estão por toda parte, nas avenidas, nos metrôs e nos parques, mas a parte que mais detestei da cidade, sem dúvida, foi a quantidade de gente que fuma. Justamente por não poderem fumar dentro dos estabelecimentos eles ficam na rua fumando enquanto você passa e leva aquela baforada de cigarro na sua cara. Acho que temos sofrido mais com o cigarro do que com o frio em si, especialmente meu marido que é asmático. Cigarro foi a única coisa que detestei quando viajamos à Paris, será que é coisa de francófono?!

Estamos adorando o transporte público e super funciona, este merecerá um post à parte.

Com relação ao frio, estamos nos adaptando. A variação de temperatura é muito grande, de -14º até 8º, foi o que já pegamos por aqui e sabemos que isso não é nada comparado as baixas temperaturas no inverno. A neve derrete e deixa muita lama pelas ruas, bem chato de andar as vezes.

O frio em si não é tão difícil, até vir aquele vento da moléstia na sua cara. Temos sentido muito a baixa umidade do ar, hoje estava em 25% e meu nariz não aguenta. Meu nariz tem sangrado diariamente e dizem que é normal e que logo me acostumarei. Estou usando um gel hidratante e vamos comprar um umidificador, mas isso também é superável, eu espero.

Esta semana descobrimos que não vendem nebulizadores por aqui, então se você utiliza um no Brasil traga o seu na mala. Pediremos para uma amiga trazer para nós.

Já pegamos a nossa primeira tempestade de neve e só sofremos um pouco com o vento e a neve que caia direto no olho, mas já resolvemos o problema, comprando um casaco próprio para neve, com uma "frescurinha" no capuz que impede a ação do vento e da neve.

Exatamente os casacos que compramos

















Ah, vale lembrar que estamos na época das promoções de inverno, então nossos casacos custaram cinquenta e setenta dólares e servirão para temperaturas de até -20°, para nós o bastante por enquanto.

No próximo post prometo falar de supermercados, o preço da comida e dos sabores diversos por aqui.

Até mais Diário!

6 comentários:

Porcelets disse...

Muito bom o post. Adoro saber esses detalhes sobre a cidade. E também odiamos cigarro!

Doug Ramsey disse...

Gente, que bom que tá tudo caminhando bem!!! Concordo com boa parte das observações de vocês sobre a cidade. Transporte pública realmente é o que há! E que bom esse preço dos casacos, acho que tá na hora de eu ir dar uma olhada nisso já pensando o próximo inverno! :)

E vamos nos falar por aqui sim!!! Me escreve no rodryerto@gmail.com que a gente tenta!

lepoussins disse...

Voces estao em uma regiao bem movimentada mesmo. Esses pedintes sempre tem, mas proximos a locais onde ha grande fluxo de pessoas.
Existem partes da cidade bonitas e outra nem tanto. Vale a pena explorar e descobrir outros cantos que agradem mais a voces.
Tambem adoro o transporte publico daqui. Com a Opus vale bastante a pena explorar toda a cidade de onibus e metro.
E parabens ! Agora comeca a fase de adaptacao a nova vida !!!

Márcia Justino disse...

Ola boa noite! ! Eu sou esteticista e meu esposo da área de TI vamos tentar ir pessoalmente em novembro em Quebec ver se conseguimos arrumar algum trabalho! !! Esramos estudando Francês, alguém poderia nos dá alguma dica como buscar emprego? Ou pelo menos uma entrevista?

Anônimo disse...

Olá, td bem?
Estava pesquisando sobre o gasto médio em roupas de inverno na chegada a Montreal e encontrei seu blog.
Eu, meu marido e meu filho (3 anos) estamos começando o processo e gostaria de me programar para esse gasto.
Pode nos ajudar?

Obrigada, Priscila

Diário Canadá Brasil disse...

Olá Priscila,

Os valores das roupas e acessorios de inverno depende muito da marca, da loja que vc comprar, do material das roupas e principalmente em que época vc comprar.

Agora por exemplo, nos meses de março e abril é o melhor periodo pq eles querem se livrar do estoque e os preços caem ate 60%,80% .

Entao é dificil te dizer exatamente quanto vc poderá gastar, como chegamos em março do ano passado e fim do inverno pegamos as coisas na promo, inclusive as botas entao posso dizer q nem gastamos tanto assim.

Nossas botas sao otimas p menos 40° e nos custaram 50$, os 2 casacos 110$ e somando todos os acessorios como luvas, toca, cachecol....uns 50$.

Espero ter ajudado.

Postar um comentário

Alguns comentários serão respondidos por e-mail.


Linda Québec! E o Hotel Château Frontenac