Vista panorâmica da cidade de Québec

domingo, 12 de abril de 2015

Montreal não é o paraíso!

Estamos em Montreal há pouco mais de um mês e acho que chegamos numa fase turbulenta por aqui.

Acredite, já vimos um pouquinho de muita coisa e algumas me lembram bem o Brasil.

Já há alguns dias os alunos tem protestado contra o governo do Québec e rolou várias manifestações, passeatas, com estudantes e polícia nas ruas. Até aí tudo bem, vivemos numa democracia, mas parece que por aqui as coisas são um pouquinho diferentes.

Aqui se você deseja protestar com passeatas, envolvendo uma certa quantidade de pessoas, se locomovendo pelas ruas, certamente você deverá informar a polícia local a data, o motivo e o roteiro do seu trajeto, senão estará cometendo uma infração e isso eu achei beeem diferente do Brasil.

Ainda não tenho uma opinião formada no que diz respeito à violação da democracia e ao direito de ir e vir, até porque me basearia nos preceitos das leis brasileiras, mas se isso deu o que falar por aqui? Aaaaah se deu.

Em uma destas manifestações, o trajeto não foi informado à polícia local, o que provocou uma reação em cadeia. Vários policiais foram às ruas e num momento bem tenso da manifestação o policial que estava com um lançador de gás lacrimogênio, simplesmente mirou na cara de uma menina e atirou, isso mesmo, lançou  uma bomba à queima roupa.



Por pura sorte ela sofreu apenas ferimentos leves no rosto, mas o assunto rendeu até entrevista com a menina e sua mãe na tv, lembrando o jornal sensacionalista do Brasil. O fato já tem mais de uma semana e ainda discutem e repetem as imagens e vídeos do momento da ação policial.

Esta semana os policiais invadiram a UQAM, com direito a quebradeira, para expulsar os estudantes que já ocupavam o espaço há pelo menos dez dias e, mais uma vez, o pau comeu lá dentro, meu querido!




O debate ainda está rolando quente por aqui e os professores também entraram na linha de frente.
O assunto permanece em alta na pauta de todos os telejornais e jornais da região e sem data para acabar.


Neste mesmo dia, estávamos nós na estação do metrô, mais precisamente na linha verde, quando ouvimos um aviso no sistema de som da estação, sobre uma parada na linha laranja. Como não nos impossibilitaria de nos locomovermos até nosso destino, seguimos pela linha verde mesmo. 

Ao chegarmos em casa descobrimos o que acontecera. Uma briga feia dentro do vagão entre dois homens que acabou com um ferido por um objeto cortante. 
Meu amigo! Parou tudo por lá e foi muito sangue no chão do vagão. Até onde eu sei, o cara que sofreu o golpe estava hospitalizado e não sei mais nada sobre o assunto. Fato esquecido pelos noticiários.



Além destes acontecimentos que são noticiados, somos testemunhas oculares de algumas mazelas. 
Uma vez voltávamos pra casa na estação Angrignon, quando vi um cara sentado no banco bastante machucado no rosto, com a cabeça sangrando e arrodeado por quatro policiais. Não tenho idéia do que pode ter acontecido com aquele homem. 

Já vimos o carro que retira a neve, propositalmente dar ré e em alta velocidade lançar a pá do caminhão num carro que estava mal estacionado em via pública, e que o impedia de fazer o seu trabalho de retirada da neve bem feito. 
E isso pode, Galvão?! 
Depois de quebrar o farol e machucar legal a parte lateral do carro, ele seguiu em frente, parou na esquina, fez uma ligação e foi embora, enquanto várias pessoas testemunharam o fato, incluindo eu e meu marido. Podia ter tirado uma foto, né? Fica pra próxima...

Moramos bem no centro de Montreal, próximo a Estação Guy Concordia, e todos os dias vemos muitos pedintes e moradores de rua, aqui são chamados de itinerantes, que enchem as estações de metrô e ruas próximas ao centro, muitos deles são drogados e alcoólatras, outros desempregados e "alternativos". Alguns te abordam dentro das estações, nas ruas e até mesmo nos restaurantes, aconteceu conosco dentro de uma Tim Hortons. 

Lixo no chão e pichação também é algo comum de achar próximo as estações de metrô, ruas do centro, dentro dos vagões e paradas de ônibus. Já vimos engarrafamento e gente mal educada de toda espécie. 

Você pode estar pensando: "Está reclamando de barriga cheia", ou "No Brasil é bem pior" ou mesmo "Então volta pro Brasil" ou algo desse tipo. 

Quero dizer que não tenho o menor problema em ler este tipo de mensagem e não serão estas coisas que me farão voltar, porque não foram estes os motivos que me fizeram imigrar, e quem acompanha o meu Diário sabe bem, além disso, também sei dar as devidas proporções aos fatos, mas este blog é como um diário, um lugar que relata a nossa experiência e o nosso ponto de vista com relação ao Processo de imigração e a vida no Canadá já como imigrante.

Sinto muito se pareceu arrogância, uma visão pessimista ou mesmo uma "infração" relatar o lado  B desta cidade, mas talvez ajude aqueles que estão iludidos achando que aqui não encontrarão nenhuma mácula, ou achando que encontrarão o paraíso na Terra, para estes saibam que Montreal é uma grande metrópole, e assim como toda grande cidade também tem seus problemas e suas particularidades e é bom sempre ter um olhar crítico e sincero sobre a cidade que desejam morar.

Bem, até a próxima e espero que com um tema mais motivador, mas não menos realista.

Se você se interessou em saber mais sobre os acontecimentos leia aqui:










12 comentários:

Ana I. Z. disse...

Olá,
muito interessante compartilhar o "lado B", pois é difícil encontrarmos relatos desses pequenos fatos cotidianos que estão longe de ser do paraíso, que é como o Canadá é pintado para quem está de fora. Claro que tudo tem seu lado ruim, mas acredito que é bem importante para quem está pensando em vir para o Canadá poder entender tudo aqui é real, e não ficção científica onde as coisas funcionam perfeitamente.
Parabéns pela coragem em compartilhar, e que esse post possa ajudar muita gente.

Diário Canadá Brasil disse...

Obg Ana,
Estava com medo dos comentários ostis, kkkkkk

Anônimo disse...

Montreal é como qualquer outra metropole.

Nunca me esqueco da resposta de uma colega de trabalho anos atras quando eu perguntei "Mas voce mora na ilha de Montreal?", ao que ela disse, como uma cara de nojo "Naaaaaaaaaao, nem pensar..."

O brasileiro vai morar em Rosemont, Plateau, etc, e nao se da conta que sao bairros pobres, de classe operaria. Pra quem é do Rio, é como morar na Lapa, Rio Comprido, etc.

Classe média que se preza mora nos "banlieu", com casa com jardim, dois carros na garagem, cachorro, papagaio... é assim em toda a América do Norte.

O problema tambem é que a classe media brasileira imigra como profissional qualificado, mas se instala como imigrante refugiado. Chega com pouco dinheiro, sem dominar a lingua, sem emprego, morando em um ape caido, em regioes mais pobres, pensando em estudar com bolsa do governo... Que diabos de profissional qualificado é esse?

A propria palavra "qualificado" ja deveria exigir que a pessoa chegasse aqui com dinheiro, dominio da lingua, excelentes perspectivas de emprego... Fosse morar num condo decente, de classe media, em "banlieu", ja com carro e planos de comprar casa em 6 meses.

Anônimo disse...

Pq teria comentarios hostis? O paraíso não existe na terra! Parabéns por colocar seus leitores com os pés no chão!

Itinha e Rodrigo disse...

Gostei do post tem que mostrar os dois lados mesmo para os futuros imigrantes não achar que vai chegar no paraíso!

Não sumam!

Mary Carvalho disse...

Parabéns pelo post, você expôs a realidade nua e crua, sem fantasiar como muitos blogs fazem. Acredito que de fato os leitores esperam por isso.
O Canadá é um país fantástico mas obviamente é natural encontrarmos problemas sociais, a questão é saber diferenciar o peso desses problemas diante dos benefícios que ele tem a nos oferecer. Infelizmente quando algumas pessoas escutam críticas logo dizem "Não está satisfeito então volta", rsrsr ... releve esses comentários rsrs.
Continue sendo sincera em suas colocações, seu blog é excelente.
Abraços!

Diário Canadá Brasil disse...

Que legal ler os comentários de vcs. realemnte achei que teriam mais comentários do tipo: "entao volta", mas n quero nem posso esconder o q tenho visto e a minha opinião a respeito da cidade ou bairro que moramos.
Valeu galera, isso muito me motiva a continuar escrevendo!

Anônimo disse...

Interessante colocar este lado B de Montreal mas como já disseram é uma cidade grande e toda grande cidade tem seus problemas. Oq acho interessante é ressaltar que apesar de encontrarmos situações parecidas ou até idênticas no Brasil devemos lembrar que o número de vezes que isso acontece e principalmente o tratamento que é dado aos acontecimentos é sem dúvida mutuário diferente do que acontece no Brasil!! Passei exatamente um mês em Montreal, andei de metrô de madrugada com minha filha e não presenciei nenhuma situação parecida e olha que andei pela cidade inteira mas realmente penso que pode acontecer como em qualquer outro lugar...o problema é que aqui acontece todos os dias, os envolvidos não são punidos e a insegurança te afeta de uma maneira muito direta. Abraço!!!

la vie est belle dans la belle province disse...

para entender as manifs desse ano, volte nos arquivos e veja o *printemps érable* de 2012 ;-) explica-se muita coisa desde la , inclusive as eleiçoes, o programa de austeridade do governo atual e a visao dos estudantes ;-)

Diário Canadá Brasil disse...

Excelente La vie belle,

Vou ler sim.
Queremos muito estar por dentro da politica do nosso novo pais.
Eu sempre busquei uma consciência politica no Brasil e sempre estava por dentro dos movimentos políticos e da vida política, e não quero tbm estar por fora aqui.
Sempre antenada politicamente, pra mim faz parte tbm da minha integração como recém chegada e futura cidadã canadense.
Acho uma obrigação de todos que chegam.
Valeu!

Canadá Cearense disse...

Muito legal o relato de vocês. Nos chegamos a um mês em Ville de Quebec mais ja acompanho o blog de vocês desde o Brasil. No principio tínhamos decidido mesmo por Montreal, mas alguns colegas nos relataram fatos parecidos com os que você relatou no post e isso nos fez mudar de ideia pra onde ir. Acabamos que por escolher Quebec. Guardadas as devidas proporções claro, era meio de se esperar ja que Montreal é uma cidade grande e relativamente populosa. Com mais de 1 milhao e meio de habitantes entre muitos imigrantes. Aqui em Québec, pelo pouco/muito que andamos, vimos um pouco de sujeira em algumas paradas de ônibus, uma buzina ou outra alta (aquele motorista impaciente), não vi pedintes ainda, nem policial na verdade vi nas ruas...enfim. Porque vocês não visitam Quebec se não conhecem ainda. Acredito que aqui é uma ótima cidade pra criar os filhos. Abraços e boa sorte.

Jonathas Alves disse...

Chegando agora no blog e já parabenizando pelo post. Tenho lido alguns blogs de imigrantes no Canadá, Austrália e Nova Zelândia e adoro quando mostram o 'lado B' destes países, para que não tenhamos ilusões. Tem um pessoal na Austrália (do blog Já Estamos Na Austrália) relatando a via crucis com a companhia de gás (que cobrou 4 vezes o valor devido e se recusa a devolver). Boa sorte ai.

Postar um comentário

Alguns comentários serão respondidos por e-mail.


Linda Québec! E o Hotel Château Frontenac