Vista panorâmica da cidade de Québec

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Relato: Educação Infantil no Québec

 Relato de uma educadora no Canadá.
O nome dela é Vanessa e possui um blog chamado "Mais além".
Ela é formada em Sociologia com licenciatura e agora esta fazendo um curso para atuar na Educação infantil no Québec.
Agora conheço alguém no Canadá imigrante na área da educação. Legal.














O que é Educação Infantil?

É a educação oferecida na fase pré-escolar, ou seja, antes da criança começar o Ensino Fundamental, que aqui no Québec/Canadá é chamado de Elementary School ou École Primaire. A Educação Infantil, tanto no Brasil quanto no Canadá, é oferecida para crianças entre 0 e 5 anos.

Além dos cuidados prestados às crianças, a educação infantil tem por finalidade estimular o desenvolvimento intelectual, físico e emocional delas.
Quais as responsabilidades da Educadora Infantil?

Quem trabalha com Educação Infantil tem enormes responsabilidades nas mãos. As principais são:

    * Manter as crianças em segurança;
    * Organizar atividades que favoreçam o seu aprendizado;
    * Supervisar as refeições e as práticas de higiene;
    * Motivar as crianças;
    * Observar as crianças (para acompanhar o seu desenvolvimento e saber com avançar em cada quesito).


Além dessas, as educadoras tem outras responsabilidades para com os pais e a diretora da escola.

A Educação Infantil no Québec:

Aqui existem Centros de Educação Infantil (Early Childhood Education Centres ou Centre de La Petite Enfance - CPE), públicos e privados, e as “Home Daycare”: um adulto que toma conta de até 6 crianças na casa dele (ou 2 adultos para 9 crianças).

As home daycares, assim como os Centros, precisam de autorização do governo para funcionar, porém, ao contrário dos Centros, as home daycares não tem obrigação de contar com profissionais qualificados. Por essa razão, muitas vezes elas não fazem mais do que babysitting (“tomar conta das crianças”).

Quanto aos Centros de educação infantil aqui no Québec, existe o “Centre de La Petite Enfance (C.P.E)”, que é público, não visa o lucro; e os Centros privado$.

O fato do C.P.E ser público, não quer dizer que ele seja do governo e nem que os pais não paguem para colocar o filho lá. Ele é na verdade público porque é democrático, porque é ‘administrado’ por 7 pais voluntários, os quais são eleitos e não nada ganham para isso. Esses pais (board of directors) se reúnem mensalmente. Eles são responsáveis pela contratação do diretor da escola, que, por sua vez, é o responsável pelas demais contratações do Centro.

Como os pais estão muito envolvidos, o qualidade do C.P.E, normalmente, é alta, pois os pais buscam sempre o melhor para seus filhos.  (Obs: é o grupo de 7 pais que inicia um CPE e não o governo)

Normalmente, o preço de uma diária num centro varia entre 25 e 40 dólares por dia. Como o C.P.E é subsidiado pelo governo (o governo paga, mas não administra), os pais arcam com apenas $7,00 dólares por dia (o governo manda a diferença para a escola, a qual deve prestar muitas contas).

Os Centros privados, assim como as home daycares, também podem ser abertos por qualquer pessoa, mas precisam contar com profissionais qualificados (2 a cada 3). Alguns desses centros são bons, muitos não. Alguns também são subsidiados pelo governo, pois há uma grande demanda dos pais por esse auxílio.

O que fazer para trabalhar na Educação Infantil?

Essa é uma profissão em alta demanda e, por isso, o governo subsidia muitos dos cursos. Só fica sem trabalho na área, quem não quer mais trabalhar nela.

Há vários caminhos, o mais comum é fazer o curso técnico de 3 anos (DEC), para aqueles que só tem o ensino médio – high school, ou o de 2 anos (DEC), para os que já tem formação anterior. Com isso você sairá de lá como qualificada. Esse curso é oferecido nos CEGEPs.

Outra opção, para quem tem pressa de começar a trabalhar, é fazer o curso de 1 ano, que é um “attestation” (AEC), também oferecido pelos Cegeps. Ele envolve os principais conteúdos do DEC, mas de uma maneira mais intensiva. Caso escolha esta opção, a educadora precisará trabalhar por 3 anos na área para ser considerada qualificada. [Há outros caminhos para isso, como ter certos diplomas, como de um curso que parte dele seja psicologia, por exemplo. Isso diminuirá o tempo para ser considerada qualificada. Saiba mais aqui: http://www.mfa.gouv.qc.ca/fr/publication/Documents/SF_regle_adm_titulaires_permis.pdf ]

Algumas pessoas fazem o curso superior (universitário) na área, mas não é o mais comum, pois essas, normalmente, seguem com a vida acadêmica. Outras pessoas entram nos Centros sem qualquer formação. Normalmente, elas ganham o salário mínimo e trabalham como ajudantes das educadoras. Essas nunca serão consideradas qualificadas, independente do número de anos de experiência.

Quanto se ganha nessa área?

Entre 13 e 21 dólares a hora, dependendo da formação. Ajudantes de educadoras, normalmente, recebem 10 dólares por hora.

O que eu estou fazendo:  

Há duas semanas eu comecei o meu AEC em Early Childhood Education (Educação Infantil) e estou gostando muito. Não sei se é o Cegep onde estou, mas a qualidade do curso é superior aos universitários que fiz no Brasil. Resolvi fazer o AEC, pois quero começar a trabalhar o mais rápido possível (acabei de terminar uma faculdade no Brasil e não tenho paciência para um curso longo). Esse Será um ano bastante intensivo. O curso tem 1200 horas, sendo 375 de estágio.

Veja o que aprende um estudante de Educação Infantil (AEC):

    * Introdução à profissão
    * Segurança no cuidado de crianças & primeiros socorros (com certificado da Cruz Vermelha)
    * Observação sistemática de crianças
    * Desenvolvimento Infantil e Juvenil
    * Produção de relatórios e documentos na Educ. Inf.
    * Habilidades comunicativas para educadores
    * Saúde da Criança
    * Desenvolvimento de relações significativas com as crianças
    * Desenvolvimento da autonomia nas crianças
    * Criatividade no local de trabalho
    * Atividades educativas
    * Guidance Interventions (não sei traduzir – algo como “como agir em determinadas situações”)

A cada dia que termina, eu saio do Cegep mais e mais apaixonada pela Educação Infantil, e posso garantir a qualquer um que não é porque estão pintando um mundo cor de rosa para mim.  Sei bem das dificuldades que um educador enfrenta (eles falam a toda hora! Além disso, já trabalhei com crianças), mas, por incrível que pareça, sinto ainda mais vontade de começar logo esse trabalho. É um desafio e tanto! Uma oportunidade maravilhosa de me superar e desenvolver inúmeras habilidades.

Não vejo a hora de começar a trabalhar e encarar os desafios próprios dessa profissão.  Também não vejo a hora de abraçar aqueles pequeninos, dar risadas com eles, brincar com eles, cuidar deles, ensiná-los! Tem como se sentir mais útil? =)

Eu sei que enfrentarei dificuldades, pois a carga de responsabilidade é enorme, mas a minha disposição para essa área é grande. Por enquanto, vou me preparando com alegria, pois estou amando este curso.

7 comentários:

Pedro disse...

Ótimo post. Parabéns.

Kantynho disse...

No Brasil, criança vai pra escola pra comer "merenda".. pq ensiono que é bom, nada...

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Post perfeito. Parabéns.

E a vida segue...

Nossa Terra Prometida disse...

Adorei a dica. Apesar de ser formada em psicologia, penso MUITO em comecar uma carreira nova. E uma das minhas opcoes, por pura paixao, e ser professora infantil!!!
Beijos

Thais disse...

Cheguei um pouco atrasada no post.. Ma sme foi muuito útil! Sou monitora da educação especial na secretaria de educação aqui de Brasília. Não me formei, parei o curso de pedagogia na Universidade Federal (UNB) por não ter certeza sobre a área de atuação. Contudo, hoje sei que é o que quero e penso em retomar a faculdade. Minha única insegurança é não conseguir exercer a profissão aí no Quebéc, pois daremos entrada no processo de imigração. Pelo que i, realmente não poderia dar aula, mesmo que o francês seja muito bom... Você saberia me informar, se há a possibilidade de trabarlharmos como monitora ou aoutra atiidade de assistência educacional para nos mantermos até a conclusão do curso no CEgep? Há facilidades para o trabalhador (flexibilização de horários e tal) estudar??
Aguardo muito sua ajuda!
Abraços, Thais.

bruxxi disse...

Também cheguei atrasada, sou educadora também. Não consegui acessar a página da Vanessa. Trabalho na área infantil, apesar de ser formada em administração, pretendo imigrar para o Quebec, e estudar por lá enquanto o marido trabalha, e depois dar entrada no pedido para residente permanente. Se tiver mais informações sobre essa are nos informe. Merci

Diário Canadá Brasil disse...

Engraçado gente, tbm n encontrei mais o blog da Vanessa que pena.
:/

Postar um comentário

Alguns comentários serão respondidos por e-mail.


Linda Québec! E o Hotel Château Frontenac